Com contrato até 2023, João Cardoso desperta o interesse do futebol internacional

João Cardoso, meia do Santa Cruz (Foto: Reprodução/Instagram)

Nem a pandemia do novo coronavírus foi capaz de desprender o Santa Cruz totalmente dos gramados. Pelo contrário, o momento agora parece ser ainda mais de cautela quanto às movimentações de bastidores. Segundo informações apuradas pela Folha de Pernambuco, o meia João Cardoso vem recebendo sondagens do futebol árabe e de clubes nacionais, o que, de certa forma, não soa de mal grado ao clube pernambucano neste período de dificuldade financeira. O jogador tem contrato assinado com o Tricolor até 2023, com multa rescisória que gira na casa dos R$ 6 milhões.

A diretoria coral, no entanto, nega qualquer tipo de consulta envolvendo o atleta de 19 anos. Em contato com a reportagem, o executivo de futebol do Santa, Nei Pandolfo, disse que não chegou consulta, tampouco proposta ao clube sobre o meia. Desde a Copa São Paulo de Futebol Júnior, entretanto, o jogador vem sendo assediado por clubes brasileiros. Integrado ao elenco profissional sob o comando do técnico Itamar Schulle, o prata da casa é um dos destaques entre as jóias corais, ao lado do goleiro Rockenedy, do volante André, o meia-atacante Felipe Cabeleira e o atacante Felipe Almeida. Juntos eles rendem um retorno de aproximadamente R$ 20 milhões ao Santa Cruz, em caso de negociações futuras.

Mesmo ainda sem o nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF, devido à pandemia de Covid-19, o prata da casa tem contrato assinado com a Cobra Coral por três temporadas, com multa rescisória em torno de R$ 6 milhões, uma das maiores entre as jóias recém-integradas ao elenco principal. Fontes ligadas ao clube garantem, por enquanto, a permanência do meia no Arruda.

No ano passado, o meio-campista fez parte da campanha invicta, que garantiu ao clube o
quinto título da Copa Pernambuco. Além disso, fez história junto aos companheiros do sub-20 e do sub-23, que pela primeira vez levaram o Tricolor à terceira fase da copinha. Pelo time principal, João Cardoso disputou quatro jogos com a camisa coral e ainda não marcou gols.

Lado financeiro
Vale lembrar que, assim como os demais clubes pernambucanos, o Santa Cruz tem sido bastante afetado financeiramente com a paralisação dos jogos. De março até aqui, o clube registrou queda de 74% somente no quadro de sócios, de onde entra uma das receitas mais importantes para a manutenção da instituição, percentual que representa uma perda de cerca de R$ 200 mil.

Descensos como esse tem feito a Cobra Coral quebrar a cabeça para angariar recursos e quitar o pagamento dos salários de funcionários e colaboradores. As ações promovidas pelo marketing do clube ainda conseguem, minimamente, frear a derrocada, com a venda de máscaras, jogo virtual com venda de ingressos em alusão à inauguração do Arruda de 1972 e monetização dos conteúdos produzidos em parceria com a TV Coral. 

De acordo com Guilherme Leite, diretor do departamento de marketing do Santa, as receitas arrecadadas serão integradas ao montante que será faturado do quadro associativo, que hoje conta apenas com um pouco mais de 1 mil sócios adimplentes. 

Do Portal FolhaPE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top