Raquel Lyra assume PSDB de olho em 2022

Raquel Lyra, prefeita de Caruaru – Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

A partir da próxima semana, o PSDB de Pernambuco estará sob novo comando. Após mais de dois anos a frente do partido no Estado, a deputada estadual Alessandra Vieira deixará o cargo, que será ocupado pela prefeita de Caruaru, Raquel Lyra. Lyra assumirá a legenda com a missão de reestruturá-la e prepará-la para a disputa das  eleições de 2022 quando estarão em jogo disputas ao Governo do Estado e nos legislativos estadual e federal.

A troca de comando de direção é vista como algo estratégico. Sem a presença do principal nome da sigla com cargo político no Estado, o ex-ministro Bruno Araújo, que comanda o partido nacionalmente; Lyra é que detém maior capital eleitoral, comandando a principal cidade do Agreste. Ela, inclusive,vem sendo cotada para disputar o
Governo do Estado.

Em reserva, um aliado da tucana avalia: “O comando do partido dará a Lyra todas as condições de disputar o Governo do Estado, exceto se ela não quiser”. “É um nome forte para disputar o Governo do Estado”, emenda outra aliada. Na avaliação da atual presidente do PSDB-PE, deputada Alessandra Vieira, o principal desafio da caruaruense será preparar a legenda para 22.

Ao avaliar os dois anos que esteve a frente da sigla, Vieira lembra das dificuldades de estruturar o partido em Pernambuco. “Eu peguei o partido com poucas cidades aptas a ter candidato a vereador e prefeito. Foi um trabalho forte para ter cidades que queriam ter candidatos”.

“A missão chega no final justamente no dia da Mulher. Fico feliz de passar o cargo para outra mulher. Saio de cabeça erguida e estarei com Raquel”, complementa. A troca de direção ocorrerá na sede do partido, no Derby, e será restrita em função da pandemia do novo coronavírus. O ato, que começará às 10h30, contará com a presença
do tucano-mor Bruno Araújo. A sigla realizará um ato político mais amplo e com aliados em outro momento. De acordo com Araújo, a mudança vem diante da antecipação do cronograma nacional do partido e por existir um projeto claro no Estado. “Em Pernambuco, como há um projeto claro de alternativa para 2022, o partido faz essa transição para começar a construir alianças, chapas”.

Fissuras no ninho tucano?

Nos bastidores, corria a informação que Vieira estaria chateada com o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, pela troca de comando. Segundo fontes, em reserva, Vieira esperava renovar o mandato com o apoio de Araújo, numa gesto recíproco pelo apoio dado a manutenção recente do tucano na direção nacional do
partido. Questionada, Vieira negou desentendimento. “Desde o final do ano que vínhamos conversando sobre esse momento. Bruno é meu líder. Me confiou na direção do partido. Eu sabia que ia chegar esse momento”, contou Vieira.

FILIAÇÃO

Após muita especulação, o ex-ministro e senador Armando Monteiro Neto (sem partido) definiu o seu futuro político. Ele se filia nesta segunda-feira ao PSDB, partido do início de sua carreira política. “Confiante com a robustez de Armando e a transição de comando com Raquel Lyra para imprimir um novo momento do partido em Pernambuco”, pontuou presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo.

REFORÇOS

Reforço de peso para o PSDB, Armando Monteiro chega e de quebra trará o seu denso grupo político entre prefeitos e deputados. Ventila-se que dois nomes certos são os do deputado estadual Álvaro Porto e do ex-deputado José Humberto Cavalcanti.

Informações do Portal FolhaPE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top