Apesar de recuperação heroica, Sport não segura Santos e se aproxima do Z4

Santos 4×2 Sport, em jogo válido pela 23ª rodada do Brasileirão Série A – Foto: Divulgação/Santos FC

A ameaça da zona do rebaixamente atingiu o ápice na Ilha do Retiro. O Sport sofreu a terceira derrota consecutiva neste sábado, após não sustentar a pressão do Santos e perder por 4×2 na Vila Belmiro. O placar atípico nos jogos da equipe rubro-negra é explicada na primeira etapa, quando os pernambucanos saíram dois gols atrás e correram atrás para igualar o marcador. Porém, o cenário não se repetiu na volta do intervalo. O Leão está um ponto acima da zona do rebaixamento, com o agravamento do Vasco, atual 17º,  ter dois jogos disputados a menos .

O jogo

A formação inicial sinalizava que o Sport planejava repetir a proposta defensiva exibida fora de casa em outras oportunidades. No entanto, os primeiros minutos mudaram radicalmente o roteiro desenhado pelos rubro-negros. Aos 4, Marinho cobrou falta e a bola atingiu a mão de Adryelson dentro da área. Após a arbitragem verificar o lance no VAR, foi apontado pênalti. O próprio Marinho deslocou Luan Polli e converteu a penalidade. Pouco tempo depois, a tecnologia novamente decidiu. O árbitro corrigiu a decisão que indicava posição irregular de Lucas Veríssimo e o gol de Lucas Braga foi validado.

Com isso, era hora do poderio ofensivo do Leão voltar a aparecer. Há três partidas que o ataque rubro-negro não era eficiente para balançar as redes. A ampla vantagem viablizou que o Santos diminuísse o ritmo do jogo enquanto aguardava o Sport se soltar para acelerar as investidas. Com certo desdém da fragilidade ofensiva dos visitantes, houve consequências. A primeira veio aos 27, após cobrança rápida de lateral, Patric se infiltrou na área santista, driblou a defesa e cruzou para Marquinhos, sozinho, só complementar. Mesmo ameaçado, o Peixe não mudou a postura e seguiu sem incomodar. Enquanto isso, já nos acréscimos, Mugni é lançado, vence marcação e cruzou na cabeça de Barcía. Com faro de artilheiro, o uruguaio empatou o marcador.

Segundo tempo 

A narrativa inicial da etapa complementar foi oposta ao primeiro tempo. Ou seja, mais confortável na perspectiva pernambucana. O Leão voltou à proposta original e se resguardou no setor defensivo. Em contrapartida, os santistas também ficaram à vontade ao retomar o controle da bola.

Santos 4
John; Pará, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Felipe Jonatan (Wagner Leonado); Jobson (Sandry), Diego Pituca e Lucas Lourenço (Soteldo); Marinho, Kaio Jorge (Bruninho) e Lucas Braga (Madson). Técnico: Cuca.

Sport 2
Luan Polli; Patric, Maidana, Adryelson (Jonatán Gomez), Chico e Júnior Tavares; Ricardinho, Marcio Araújo (Ronaldo Henrique) e Lucas Mugni (Mikael); Marquinhos (Maxwell) e Leandro Barcía. Técnico: César Lucena (auxiliar)

Estádio: Vila Belmiro (Santos/SP)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Bruno Raphael Pires e Christian Passos Sorence (ambos de SP)
Gols: Marinho, aos 5′ do 1ºT (SAN), Lucas Braga, aos 12′ do 1ºT (SAN), Marquinhos, aos 28′ do 1ºT (SPO), Bruninho, aos 25′ do 2ºT (SAN) e Soteldo, aos 36′ do 2ºT (SAN)
Cartões amarelos: Adryelson (SPO), Lucas Lourenço (SAN), Marquinhos (SPO), Jobson (SPO), Mugni (SPO), Lucas Veríssimo (SAN)

Informações do Portal FolhaPE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top