Ministério Público Eleitoral pede explicações ao Governo de Pernambuco sobre flexibilização de eventos

Arte: Dani Fernandes/Rádio Liberdade

O Ministério Público Eleitoral pediu explicações ao Governo de Pernambuco sobre autorização, a partir de 3 de novembro, de eventos com até 1.500 pessoas no Estado. No momento, a permissão é de encontros com, no máximo, 100 pessoas.

O procurador regional eleitoral Wellington Cabral Saraiva enviou ofício ao governador Paulo Câmara questionando os critérios técnicos que amparariam essa decisão durante a pandemia de covid-19 e se a medida abrangeria atos de campanha eleitoral. No documento, o procurador destaca que, caso se confirmem as notícias dessa flexibilização, o efeito será devastador para os esforços do MP Eleitoral e da Justiça Eleitoral de prevenir atos de campanha que facilitem a propagação do novo coronavírus.

Mesmo antes do início da campanha eleitoral, em 27 de setembro deste ano, o Ministério Público Eleitoral em Pernambuco teve conhecimento de inúmeros atos de campanha que não respeitaram as regras sanitárias estaduais vigentes (uso obrigatório de máscaras, eventos com, no máximo, cem pessoas e distanciamento social, entre outras). “Com o início da campanha, essas situações têm aumentado e, mesmo sem conhecimento técnico em epidemiologia, parece evidente e inevitável que elas terão impacto no número de pessoas infectadas e mortas no estado”, destacou Wellington Saraiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top