Sport joga mal, mas supera Vitória e dá um passo na luta contra rebaixamento

Suficiente. É como se define a vitória do Sport diante do Vitória/PE, por 1×0, na estreia do quadrangular do rebaixamento no Campeonato Pernambucano, uma situação inédita para o clube e adversa para as pretensões da torcida na competição. Apesar do resultado, a atuação burocrática não agradou a torcida leonina, visto que os rubro-negros estreiam na Série A em menos de duas semanas. O próximo compromisso do Leão é no próximo sábado (01), quando encara o Decisão, na segunda rodada do quadrangular. 

Após o duro revés contra o Santa, em que impossibilitou os rubro-negros avançarem no Estadual, Daniel Paulista ajustou as fragilidades na contenção dos ataques adversários e na transição ofensiva. Para encarar o tricolor de Santo Antão, os jogadores não aplicaram o mesmo ritmo observado contra o Fortaleza e o clima ‘morno’ acompanhou boa parte da primeira etapa. Ainda assim, a fragilidade dos tricolores deu brechas para as chegadas do Leão. 

Aos 20 minutos, Barcía surgiu livre perto da pequena área e, sem marcação, errou o desvioe perdeu a primeira chance do jogo. Enquanto se lançava mais para o ataque, o Sport relaxou a marcação. A oportunidade de ouro para os taboquenses veio aos 30 minutos, quando Raul Prato vacilou e Genilson ficou cara a cara com Mailson, mas finalizou para longe da meta. O técnico rubro-negro enxergou a baixa produtividade do lado rubro-negro e promoveu três substituições no intervalo. A entrada de Betinho, no lugar de Ronaldo, apurou o passe do Leão e acelerou a saída de bola.  Contudo, a substituição de Hernane por Elton pouco acrescentou nas finalizações, visto que o atacante foi apontado diversas vezes em posição irregular. 

O Vitória raramente atravessava o meio de campo e praticamente abdicou do ataque a partir dos 15 minutos, deixando sob responsabilidade dos donos da casa uma eventual alteração no placar. Embora estivesse à beira da grande área na maioria das vezes, o setor de criação leonino não encontrava espaço para colocar um companheiro na cara do gol. Portanto, restava para Patric se adiantar na faixa direita e assustar os interioranos. 

Com o jogo se encaminhando para o apito afinal, o improviso resolveu a angústia na Ilha. Aos 35, Marquinhos decidiu arriscar fora da área e não deu chances para Celismar. O gol foi um sopro de alívio para os rubro-negros, mas não mudou o panorama que se estendeu em todo o jogo. Satisfeito com o placar, o Sport se apoiou na fadiga do Vitória para controlar o resultado até o apito final.

Do Portal FolhaPE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top