Reeducandos da Penitenciária de Caruaru comemoram 9 mil protetores faciais

Foto: Divulgação/Seres

Os reeducandos da Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, Agreste de Pernambuco, chegaram a 9 mil protetores faciais produzidos para instituições de saúde, segurança e unidades prisionais, durante a pandemia do novo coronavírus. A unidade de Caruaru foi pioneira na produção de equipamentos de proteção individuais (EPIs)

Desde o dia 27 de março que detentos se dedicam, em horário integral, à produção de EPIs. As poucas pausas que fizeram foram apenas para aguardar a chegada da matéria-prima doada pela Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres). O secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, afirmou que o trabalho vai continuar.

Em Pernambuco, já foram produzidos pelos detentos mais de 50 mil EPIs destinados a instituições de saúde pública e privada, sistema prisional e Polícia Científica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top