Presidente do Santa defende ‘bom senso’ para tomada de decisões pós-pandemia

Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O presidente da Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf), Felipe Leite, emitiu opinião, na última sexta, sugerindo à CBF a diminuição do intervalo entre uma partida e outra para 48 horas. A regra atual diz que 66 horas é o intervalo ideal. Procurado pela reportagem da Folha de Pernambuco, o presidente do Santa Cruz, Constantino Júnior, ponderou a colocação dizendo que “todo mundo deve ceder um pouco” para que um consenso seja atingido.

Lembrando que, por conta do aperto no calendário no início de temporada, com Campeonato Pernambucano, Copa do Nordeste e Copa do Brasil, o Tricolor chegou a disputar uma partida nesse molde, justamente contra o ABC, pelo Nordestão, 48 horas depois de enfrentar o Salgueiro, no Arruda pelo Estadual. A regra, assentada em 2017, até permite que clubes disputem partidas nesse intervalo mínimo, mas apenas em ocasionalidades, funcionando como exceção e não regra. 

“Tem que haver um entendimento. Precisamos ouvir os profissionais de saúde, os profissionais de preparação física. Por exemplo, o Santa faz um jogo contra o River, em Teresina, e voltar para jogar contra o Salgueiro, ou seja, 48h com viagens longas. Algumas coisas devem ser ponderadas”, disse o mandatário coral.

“Acho que vai ter que ter bom senso por parte de todo mundo, todo mundo ceder um pouco. Não pode ser: vai ser 66 horas e pronto. E também não pode ser: já que assinou 48 horas é cada um por si. Não é. Tem que haver um consenso”, completou.

A Fenapaf emitiu uma nota registrando que “a proposta de diminuir o intervalo entre partidas foi uma possibilidade aventada pelo presidente da Fenapaf e é sua posição pessoal na busca da preservação de empregos e das competições”.

Do Portal FolhaPE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

scroll to top