Náutico bate Juventude nos pênaltis e vai à final da Série C – Rádio Liberdade
Notícias Últimas Notícias

Náutico bate Juventude nos pênaltis e vai à final da Série C

Foto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

O Náutico está na final da Série C. E, mais uma vez, a exemplo do que aconteceu há duas semanas, com direito a um jogo eletrizante nos Aflitos, decidido nos pênaltis, na noite deste domingo (22). Depois de vencer o Juventude por 2×1 no tempo normal, com dois gols de Álvaro para os donos da casa e um de Genílson para os visitantes, o Timbu foi submetido a mais uma prova de fogo e venceu a equipe gaúcha nas penalidades por 4×3. Os alvirrubros agora se preparam para disputar o título da Terceirona com o Sampaio Corrêa/MA. O primeiro jogo será na Rosa e Silva e o segundo no Maranhão.

Diante de um bom público nos Aflitos e precisando da vitória, o Náutico começou em cima do Juventude. Logo nos primeiros minutos, o Timbu pressionava, empurrando a equipe gaúcha para dentro de sua área. Ainda assim, foram os visitantes quem tiveram boa chance no início. Aos 12 minutos, Poveda entrou na área, mas Jefferson saiu para afastar. A resposta mais cruel. Aos 16, após cobrança de lateral, Hereda ficou com a bola, levantou a cabeça e ergueu na área, com precisão. Álvaro subiu sozinho e desviou para o fundo das redes, abrindo o placar.

Apesar da festa na torcida alvirrubra, o duelo não demorou muito a ganhar contornos dramáticos. Um minuto após o gol dos mandantes, Diego Silva entrou de forma displicente em Rafael Bastos, dentro da área. Eltinho, que já defendeu o Timbu, deslocou Jefferson, mas acertou a trave direita do goleiro alvirrubro. Nova comemoração nos Aflitos. Foi o que os donos da casa precisavam para recuperar o ânimo. E não demorou para os alvirrubros ampliarem. Em cobrança de escanteio, Jean Carlos encontrou Álvaro, que mandou de cabeça, mais uma vez, para o gol do time alviverde.

No segundo tempo, o Juventude voltou ligado, apresentando todo o futebol que não tinha mostrado no primeiro tempo. Aí começou a aparecer a figura do goleiro Jefferson. Aos 14 minutos, Breno arriscou e o goleiro alvirrubro fez grande defesa. Pouco depois, o mesmo Breno tentou novamente e parou no arqueiro do Náutico. A evolução do escrete gaúcho viria a surtir efeito. Aos 31 minutos, após cruzamento na área alvirrubra, Genílson subiu mais alto e cabeceu no canto do gol do Timbu para diminuir o placar, fazendo um resultado suficiente para levar a decisão para as penalidades.

Em seguida, o Juventude cresceu e João Paulo teve boa chance em cobrança de falta, mas mandou para fora. No fim, o Náutico até chegou perto de fazer o terceiro gol com Jefferson Nem, mas o jogo foi para os pênaltis. Nas cobranças, Eltinho se redimiu e acertou. Jiménez empatou. Genílson fez 2×1. Josa tratou de igualar o marcador. Braian Rodríguez também converteu. Maylson fez 3×3. Denner bateu e Jefferson pegou, mas Álvaro mandou para longe. Dalberto chutou para fora. Aí Matheus Carvalho acertou a última cobrança e garantiu o Náutico na final da Série C.

FICHA TÉCNICA:

Náutico 2 (4)
Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro, Diego e Willian Simões; Josa, Jhonnatan (Jefferson Nem) e Jean Carlos (Maylson); Matheus Carvalho, Álvaro e Wallace Pernambucano (Jiménez). Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Juventude 1 (3)
Marcelo Carné; Vidal, Genilson, Sidimar e Eltinho; João Paulo, John Lennon, Rafael Bastos (Braian Rodríguez) e Aprile (Dener); Gabriel Poveda (Breno) e Dalberto. Técnico: Fahel

Local: Aflitos (Recife/PE)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC). Helton Nunes e Éder Alexandre
(ambos de SC).
Cartões amarelos: Diego Silva (N) Sidimar, Rafael Bastos, Breno (J)
Gols: Álvaro, aos 16 e 31 minutos do 1ºT. Genílson, aos 31 minutos do 2ºT.
Renda: R$ 249.139,00 Público: 13.084

Do Portal FolhaPE

Deixe seu comentário