Notícias Últimas Notícias

Em jogo com reviravoltas, Náutico e CRB ficam no 2×2

Foto: Arte/Folha de Pernambuco

Em um jogo cheio de reviravoltas, o torcedor do Náutico sentiu, por duas vezes, o gosto da vitória. Parecia que o técnico Roberto Fernandes finalmente venceria sua primeira fora de casa. O problema é que as aparências enganaram. Com falhas dos goleiros, Timbu e CRB ficaram no 2×2, no Rei Pelé, pela Série B. Um empate amargo para ambos os nordestinos. Pelas circunstâncias, ainda mais para os pernambucanos.

Com o desfalque de última hora de Dico, que sentiu um desconforto na coxa direita, o Náutico entrou em campo sem atacantes de origem. Na frente, o técnico Roberto Fernandes optou por colocar Rafinha e Bruno Mota, esse último como “falso 9”.
Os pernambucanos entraram nitidamente com uma proposta mais defensiva. E não foram poucos os sustos que o time sofreu nos primeiros 15 minutos. Jefferson fez pelo menos três boas defesas. Em outro lance pelo alto, João Paulo testou no canto e a bola triscou a trave.

A velocidade com que o CRB armava seus contra-ataques contrastava com a lentidão do Timbu para sair da defesa e chegar até o campo adversário. Tudo indicava que, uma hora, a bola entraria. E entrou. Mas do outro lado. Em uma jogada quase despretensiosa, Sueliton arriscou um chute de perna esquerda. Seria uma defesa simples para Edson Kolln, mas o goleiro levou um “frango” ao tentar encaixar a bola. Eficiência que venceu a insistência.

O placar mudou, mas o jogo permaneceu com o mesmo cenário: CRB pressionando e Timbu fechado. O Galo colecionou inúmeros cruzamentos na área, mas as cabeçadas não acertam o alvo. O resultado foi caprichar com o pé. No final da primeira etapa, João Paulo acertou um chute no ângulo de Jefferson, deixando tudo igual no Rei Pelé.

Com apenas Bruno Mota à frente do meio-campo, os visitantes seguiram sufocados. Lá atrás, Jefferson continuava salvando os companheiros. Em cabeçada de Zé Carlos, o goleiro mostrou reflexo em dia. Vendo seus comandados sem reação, Roberto apostou em aumentar a presença ofensiva, tirando Cal e colocando Gerônimo.

Sem trocar passes com qualidade, o Náutico mostrava afobação ao se aproximar da área. Enquanto isso, o CRB era hegemônico na posse de bola, mas não caprichava nas finalizações. Um pecado que penalizou os mandantes aos 36 do segundo tempo. Leílson desceu pela direita e cruzou para Bruno Mota colocar o Timbu na frente. Seria o gol da vitória, mas eis que uma falha tirou os três pontos dos visitantes. Jefferson saiu mal do gol e soltou a bola nos pés de Neto Baiano. O centroavante foi impiedoso para cravar o 2×2 no placar.

 

Do Portal FolhaPE

 

 

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: